Como os NIMBYs estão atrasando o Vale do Silício e a economia americana

260176106_6f6ef99b9e_o.0.0

A sede arborizada do Google em Mountain View é atraente, mas uma grande torre de escritórios tornaria a área mais caminhável. Foto: laughingsquid @ Flickr

A maioria dos líderes municipais ficaria feliz da vida ao ter sua cidade selecionada para ser sede de uma das maiores emrpesas do mundo. Mas de acordo com o New York Times, o Conselho Municipal de Mountain View* não ficou entusiasmado com os planos do Google de construir uma nova sede por lá.

Os líderes municipais aparentemente estão preocupados com o trânsito, e de construções futuras mudando o caráter da sua cidade. Eles também estão preocupados que funcionários do Google possam se tornar a maioria da base de votos da cidade, concedendo à empresa uma influência desproporcional na política municipal.

Outras empresas de tecnologia da região também sofreram resistência dos defensores do “not-in-my-backyard”** (NIMBY). O resultado: não apenas o Vale está falhando ao lidar com o crescimento da congestão e com os preços de moradia no limite, as míopes políticas locais podem acabar travando o driver mais importante de crescimento econômico do país. O que parece uma questão local tem implicações mais abrangentes.


“Ignorar a pressão por mais desenvolvimento é ignorar os problemas de longo prazo. Uma estratégia melhor seria aceitar que o crescimento é inevitável e começar a planejar formas de acomodá-lo de forma adequada.”


Ignorar a pressão por mais desenvolvimento é ignorar os problemas de longo prazo. Uma estratégia melhor seria aceitar que o crescimento é inevitável e começar a planejar formas de acomodá-lo de forma adequada. Isso significa permitir desenvolvimento de alta densidade em certas áreas, posicionando-o de forma que alguns moradores possam caminhar ou ir de bicicleta ao trabalho, garantindo que estas áreas estão bem servidas de transporte coletivo para que elas não congestionem as ruas da cidade.

Um dos maiores problemas de Mountain View (e de cidades da região) é que mais de 85 por cento dos trabalhadores vão para o trabalho de carro. Isso funciona bem em um subúrbio típico, mas está se tornando cada vez menos viável a medida que a região se torna mais povoada.

Se Mountain View permitisse a construção de moradia de alta densidade próximo à sede do Google, ajudaria não só a diminuir os preços altíssimos da moradia da região mas também incentivar mais pessoas a caminhar ou ir de bicicleta ao trabalho, aliviando parte desse congestionamento.

Densidades mais altas funcionam melhor aliadas a um sistema melhor de transporte público. Agora, o desenvolvimento orientado ao automóvel da região dificulta a implementação de um sistema de transporte de qualidade. Mas se Moutain View permitisse o desenvolvimento caminhável e de alta densidade para uma região da cidade – e outras cidades próximas fizessem o mesmo – ficaria mais prático construir um sistema de ônibus – ou talvez algum dia um sistema de metrô – conectando-as.

Outro sinal de quanto a região precisa de sistemas compartilhados de transporte é o fato de que o Google e outras empresas estão sendo forçadas a construir seus próprios sistemas privados de ônibus para trazer seus funcionários de San Francisco. Estes sistemas funcionam bem para os funcionários que tem acesso à eles, mas seria melhor para a região se a infraestrutura de transporte do Vale do Silício fosse boa o suficiente para torná-los desnecessários.

O problema, como disse para o Times um conselheiro municipal de Cupertino, cidade sede da Apple, é que “Ninguém quer mudança.” Vários moradores da região gostam das suas cidades da maneira que são – ou, mais precisamente, a maneira que eram vinte antes atrás, antes do boom da internet – e não querem ver a área sendo gradualmente transformada em uma área urbana.

Mas manter as coisas da maneira que são não é uma opção viável. Essas empresas não vão parar de crescer. Problemas de trânsito vão ficar cada vez piores. Cedo ou tarde, as empresas de tecnologia vão convencer algumas cidades da região para permitir mais desenvolvimento.

Endereçar essas pressões de forma pró-ativa permitira cidades canalizarem esse crescimento de forma a minimizar os transtornos para moradores de longa data. Permitir desenvolvimento em algumas partes da cidade pode aliviar os congestionamentos e déficits de moradia em outros bairros.

Aliás, se o Vale do Silício tivesse um mercado imobiliário mais flexível, centenas de milhares de pessoas poderiam se mudar para a Bay Area e aproveitar do mercado de trabalho apertado e dos altos salários da região, alavancando não só a região mas o crescimento do país como um todo.

Ao invés disso, os trabalhadores estão presos do lado de fora por preços de moradia astronômicos. E todos nós estamos piores por causa disso.

Aviso: Meu irmão trabalha como executivo no Google.

* N.T.: equivalente à Câmara de Vereadores;
** N.T.: “não-no-meu-jardim”, expressão usada para descrever cidadãos que se opõem ao desenvolvimento de suas cidades;

Timothy Lee é editor sênior da Vox. Este artigo foi publicado originalmente na Vox em 25 de fevereiro de 2015 e traduzido por Anthony Ling com autorização do autor.

  1. 42: Estado Unicórnio | Podflix

    […] Como os NIMBYs estão atrasando o Vale do Silício e a economia americana (Caos Planejado) […]

    Responder

Deixe um comentário