Como veículos autônomos vão impactar o mercado imobiliário

Base autônoma "Work On Wheels (WOW)", da IDEO.

Base autônoma “Work On Wheels (WOW)”, da IDEO.

 

Se e quando carros autônomos chegarem às ruas, eles afetarão não só o trânsito, mas também o uso do solo e o mercado imobiliário.

Hoje em dia, lugares e a maioria dos serviços têm uma localização fixa. Pessoas dirigem até lojas, restaurantes, escritórios e hotéis. Com plataformas móveis autônomas, alguns desses serviços poderiam ser desmembrados de uma localização rígida. De repente, múltiplos cenários surgem:

– A pessoa dirige até um lugar fixo para ter o serviço;
– A pessoa permanece em seu local e solicita que um serviço-sobre-rodas dirija até ela;
– Tanto a pessoa quanto o serviço se deslocam e se encontram na via;

Poderiam os carros autônomos acabarem mudando o mercado imobiliário?

Comida Sobre Rodas

E se serviços básicos de alimentação e vendas se tornassem disponíveis diretamente nas vias? Uma cafeteria poderia se deslocar por uma rodovia e servir seus clientes em carros autônomos sem mesmo parar.

Sobretudo, isso demandaria desenhos completamente novos de carros autônomos e o suporte de um conector universal para que o serviço nas vias seja seguro. Uma empresa chamada Next propôs o design de módulos que permitiriam esse uso. Surpreendentemente, a maior cobertura da mídia sobre esse projeto focou predominantemente na experiência do passageiro, e abstraiu o potencial de serviços-sobre-rodas.

Módulo conceitual Starbucks, desenvolvido pela Next.

Módulo conceitual Starbucks, desenvolvido pela Next.

Durante viagens longas, passageiros desejam parar com alguma frequência não apenas por alimentação, mas para usar um banheiro. Com bases modulares, é possível ter banheiros-sobre-rodas sob demanda. Next também antecipa esse cenário.

O impacto de cafeterias-sobre-rodas conectáveis no trânsito em um centro urbano não é claro. Caso se tornassem incômodos, seu uso poderia ser limitado para certas horas de operação. No centro, o lado da demanda na equação também é incerto. Bases de serviços podem não conseguir chegar aos clientes através do trânsito.

Cafeterias-sobre-rodas e banheiros-sobre-rodas conectáveis fazem sentido para grandes distâncias em rodovias e podem reduzir a demanda para infraestrutura de paradas ao longo da rodovia.

Poderia a infraestrutura nas margens de rodovias se tornar obsoleta com carros autônomos alimentícios?

Poderia a infraestrutura nas margens de rodovias se tornar obsoleta com carros autônomos alimentícios?

Trabalho Sobre Rodas

Carros autônomos poderiam liberar aqueles que dirigem manualmente para o trabalho para fazer algo a mais. Um cenário óbvio seria usar o tempo adicional para trabalhar, estudar ou simples recreação.

IDEO desenhou uma base “trabalho-sobre-rodas” conceitual para demonstrar como o formato dos carros se desenvolveria se não houvesse limitações.

Conexão entre módulos WorkOnWheels Nexus, IDEO.

Conexão entre módulos WorkOnWheels Nexus, IDEO.

IDEO também propôs um conceito de deslocamento inverso para relações de trabalho flexíveis. Isto é, quando pessoas se deslocam para espaços abertos em um dia de trabalho ou uma reunião ou estacionam nas bases “trabalho-sobre-rodas”.

Deslocamento inverso é um conceito interessante, mas só funcionaria em escala nos subúrbios. Temos arranha-céus por um motivo; simplesmente não há área o suficiente para satisfazer a demanda por espaços comerciais em densos centros urbanos. Portanto, bases móveis poderiam funcionar nas cidades para encontros e reuniões, mas não como substitutos aos escritórios.

Poderia ser uma grande nova plataforma para operadores como a Breather, que locam salas de reuniões sob demanda por a partir de meia hora. Outra operadora que faria perfeito sentido em trabalhos-sobre-rodas seria a Starbucks ou seus competidores. Usando um design de micro-ônibus maior que as bases acopláveis da Next, poderia ter um barista e várias bases de trabalho onde as pessoas poderiam fazer um lanche, trabalhar ou estudar durante seus deslocamentos. Bases de cafeterias poderiam adaptar suas rotas através dos modelos de crowdsourcing desenvolvidos por startups como a Chariot e a Bridj.

Hotéis Sobre Rodas

Viajantes precisam de locais para usar o banheiro, tomar um banho ou dormir. É possível usar o banheiro em paradas na estrada ou áreas de repouso. É possível que assentos em alguns carros autônomos poderiam ser desenhados para um cochilo confortável. Quanto a chuveiros, alguém pode querer frequentar academias pela manhã. No entanto, isso não acrescenta a uma experiência confortável de viagem, por isso existem os hotéis de beira de estrada.

"Seu quarto chegará em 5 minutos"

“Seu quarto chegará em 5 minutos”

Poderia emergir um design de veículo autônomo dedicado à viagem? Imagine que ao invés de dirigir em um carro e parar em um hotel, você poderia pedir ao Marriott ou Super8 carros autônomos para dormir. Poderia haver fornecimento de água para chuveiros e banheiros. Ao invés de fazerem uma parada para poder dormir, os passageiros poderiam continuar viajando durante a noite enquanto dormem. É questionável qual o conforto que essas bases poderiam oferecer, e se poderiam atingir uma escala considerável, mas é um conceito que vale a dedicação. Carros de viagem autônomos requereriam limpeza e manutenção em diferentes cidades, então provavelmente seriam geridos e operados por empresas. No entanto, trailers autônomos poderiam se tornar um investimento pessoal mais viável se pudessem operar num esquema de aluguéis como o AirBnB.

Recarga Sobre Rodas

Para quartos autônomos e veículos comerciais com fretes de longa distância, parar para recarregar é um desperdício de tempo. Para isso, estações de recarga sobre rodas poderiam possibilitar o transporte sem paradas. Isso reduziria a demanda de infraestrutura na beira de estradas.

Impacto no uso do solo

Em áreas urbanas, carros autônomos poderiam estimular o comércio de rua e reduzir as exigências de estacionamento convencional. No entanto, é difícil imaginar que veículos autônomos alterem o mercado imobiliário num centro urbano de forma radical.

Carros autônomos poderiam estimular uma nova onda de suburbanização e espraiamento. Sem desperdício de tempo nos deslocamentos, antigos motoristas poderiam usar esse tempo para trabalhar e algumas pessoas poderiam escolher morar ainda mais longe.

Veículos autônomos poderiam afetar infraestrutura às margens das estradas em duas maneiras opostas:

– De um lado, cafés, banheiros, carregadores e hotéis autônomos sobre rodas têm potencial para reduzir a demanda em infraestrutura na beira de rodovias;
– Por outro lado, onde os operadores guardariam todas essas bases móveis com cafés, banheiros, carregadores e quartos de hotéis? Operadores precisariam de um espaço viável para construir pontos de distribuição e manutenção. Não há necessidade de ter esses hubs nos caros centros urbanos, então faria sentido dar um outro significado às áreas existentes ao longo de rodovias para comportar bases de carros autônomos.


Conclusões

Carros autônomos ainda são algo com o que só podemos especular. Hoje, tipicamente pensamos em empresas como Google, Tesla, Uber e Apple, que estão correndo para colocar o primeiro carro autônomo no mercado.

Como os cenários de uso vão além de puramente mobilidade e logística, podemos começar a pensar sobre veículos autônomos como parte do mercado imobiliário, em propriedades pequenas e móveis. Dentro desse cenário, um tipo completamente de operadores de serviços pode surgir desde Starbucks e Breather até Hilton ou AirBnB, etc.

Este artigo foi originalmente publicado no site Medium em 23 de dezembro de 2015. Foi traduzido por Lucas Magalhães, revisado por Anthony Ling e publicado neste site com a autorização do autor.

Deixe um comentário