fbpx
Como vamos lidar com o transporte daqui para frente
Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil.

Como vamos lidar com o transporte daqui para frente

Nesta palestra, Marcos Paulo Schlickmann fala sobre as perspectivas para o futuro da mobilidade urbana a partir da qualidade dos deslocamentos e bem-estar dos viajantes. Assista.

15 de março de 2021

No final de novembro de 2020, Marcos Paulo Schlickmann, nosso editor de mobilidade, participou do Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade, com a palestra “Mobilidade urbana e felicidade: como tornar nossos deslocamentos mais felizes”. O conteúdo, que você confere abaixo, foi reapresentado aos apoiadores premium do Caos Planejado.

Seja você também um apoiador premium e participe dos nossos eventos exclusivos.

Assista:

Sua ajuda é importante para nossas cidades.
Seja um apoiador do Caos Planejado.

Somos um projeto sem fins lucrativos com o objetivo de trazer o debate qualificado sobre urbanismo e cidades para um público abrangente. Assim, acreditamos que todo conteúdo que produzimos deve ser gratuito e acessível para todos.

Em um momento de crise para publicações que priorizam a qualidade da informação, contamos com a sua ajuda para continuar produzindo conteúdos independentes, livres de vieses políticos ou interesses comerciais.

Gosta do nosso trabalho? Seja um apoiador do Caos Planejado e nos ajude a levar este debate a um número ainda maior de pessoas e a promover cidades mais acessíveis, humanas, diversas e dinâmicas.

Quero apoiar

LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Muro da Mauá. Penso ser importante a preocupação do Anthony Ling com essa construção que enfeia o centro de Porto Alegre, no entanto, parece que ninguém está preocupado com o CAOS do transporte coletivo por ônibus. “Paradas” finais espalhadas por todo o centro, sem uma cobertura, a parecer uma pequena cidadezinha do interior. E a completa falta de integração com os diversos modais? Uma Rodoviária inadequada em todos os sentidos, porém, ao que se informa, vão adotar uma providência arrojada, vão ligar com um telhadinho uma das saídas da rodoviária com a entrada da Estação do Trensurb. Em termos de mobilidade, geralmente, pensam na elite, mas tenho um convite, façam como, obrigatoriamente, um pobre que desembarca na Rodoviária às 21 h e precisa tomar por exemplo um ônibus cuja parada é na Av. Salgado Filho.